Flamengo vence o Cruzeiro no Mineirão

Vencer o Cruzeiro no Mineirão, por 1 a 0, não foi o suficiente para o Flamengo se classificar às quartas de final da Libertadores. No entanto, como o time rubro negro perdeu no Maracanã por 2 a 0 para os mineiros, acabou por ficar sem a conquista da vaga pela diferença de um gol.

Apesar do jogo movimentado e pegado nos dois tempos, o Flamengo pecou novamente por não colocar em campo os melhores jogadores que o elenco possui. O único gol foi marcado pelo zagueiro rubro-negro Léo Duarte, que se desdobrou para cobrir os espaços deixados pelo lateral Rodinei (que há muitos tempo não vem bem) e para cobrir o companheiro de zaga Réver que não deveria ter voltado da contusão como titular, uma vez que a zaga formada po Léo Duarte e Thuler estava firme e jogando muito bem.

O Flamengo precisava de gols, e o técnico Maurício Barbieri apresentou surpresas na sua escalação. Sacou Dourado do time titular, colocou Marlos e deixou Vitinho atuando mais centralizado, com o intuito e a esperança do jogador arrebentar.  Poderia também ter vindo com o jovem e talentoso Lincon no comando do ataque, uma vez que o Flamengo já entrava em campo necessitando de fazer três gols para se classificar.

Como um time pode querer ser campeão e não escalar os melhores em cada posição? Klebinho lateral direito está melhor que o Rodinei, o Trauco é muito melhor que o Rêne e o Thuler não pode ser reserva do Réver. Vejam os gols ou as jogadas de perigo que o Flamengo viveu e vejam o posicionamento de Réver e Rêne.  Quando o zagueiro fica pesado se torna lento e se posiciona mal em campo.

Podemos citar ainda, Vitor Gabriel e Pepê, ambos jogando para serem titulares, mas que por necessidade da comissão em contratações o clube só escala como titular os contratados,  e os bons jogadores não são colocados para jogar…

 

“Você não vai escalar um jogador contratado pelo clube por milhões? O que importa é o investimento que colocou o clube em dia com suas obrigações e salários; títulos só servem para a torcida”

 

O Rubro-Negro tem a característica de chutar pouco a gol, é só reparar o número de chutes a gol na partida de ontem, principalmente porque havia a necessidade de gols.

Diego Alves – um dos destaques do jogo garantiu a vitória, numa zaga que só Léo Duarte jogou bem, com segurança e excelente posicionamento.

Thiago Neve para em defesa incrível de Diego Alves. Réver mal posicionado acompanha o lance. (Foto: Agência i7 / Mineirão)

Quem abriu o placar foi o Flamengo – Em um escanteio cobrado por Diego, a zaga do Cruzeiro afastou, mas a bola sobrou na direita com Éverton Ribeiro, que cruzou com um toque para o meio da área. O goleiro Fábio tentou a saída para a defesa, mas Léo Duarte apareceu e colocou no fundo da rede: 1 a 0, aos 24 minutos.

A partir daí, Barbieri colocou três atacantes atacantes em jogo (Dourado, Geuvânio e Lincoln), e o Flamengo tentou de todas as formas partir para o ataque. Apesar de ter perdido a organização, pressionou o quando podia. E o Cruzeiro teve o mérito de segurar a pressão e tentar esfriar o jogo.

É preciso reconhecer, entretanto, um Flamengo organizado e que não se privou de ditar o ritmo e buscar o ataque como visitante contra um grande rival. Cruzeiro se defende muito bem, foi conservador com a vantagem e avançou.

Os jogadores do Flamengo foram muito bem marcados (Gilvan de Souza / Flamengo)

La Divina

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *