Quatro nativos de Armação dos Búzios

Essa 2ª Fase da Operação Plastógrafos se deu para cumprir o mandato de prisão dos despachantes suspeitos de falsificação de alvarás em Armação dos Búzios, sendo que quatro deles são nativos da cidade.

Segundo o Promotor da GAECO – Dr. Eduardo Fonseca o que chama a atenção é o fato que na 1ª Fase da Operação Plastógrafos em outubro de 2019 para busca e apreensão na residência de alguns dos investigados que vieram a se tornar denunciados hoje, e um dos investigados, que atualmente se tornou denunciado e foi preso hoje é o Maurício Rodrigues de Carvalho do Nascimento, e para nossa surpresa o prefeito André Granado em novembro de 2019 o nomeou em Cargo de Confiança na prefeitura o que demonstra realmente o vinculo próximo ao prefeito e pessoas ligadas a prefeitura.

Para o promotor da GAECO – Dr. Eduardo Fonseca existem fortes indícios de um organismo ainda maior , e que através das investigações em questões de horas mais nomes serão denunciados.

A 1ª Fase da Operação Plastógrafos ocorreu em 3 de outubro de 2019, quando foram cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos despachantes a prática dos crimes de organização criminosa, estelionato, fraude processual e ameaça. Segundo o MPRJ, entre os locais onde os mandados na época foram cumpridos estão endereços ligados ao ex-secretário de Fazenda do município, ao ex-vereador (PDT) e ex-chefe de gabinete da Prefeitura, Lorram Gomes da Silveira; e a despachantes. Lorram da Silveira, era na ocasião o Chefe de Gabinete do prefeito André Granado.

CAPA DA MATÉRIA EM 03 DE OUTUBRO – Lorram da Silveira então Chefe de Gabinete do prefeito André Granado foi um dos alvos da 1 Fase da Operação Plastógafos , pelo GAECO e MPRJ em 3 outubro de 2019.

A 2ª Fase da Operação Plastógrafos, por meio da 127ª DP (Búzios), em conjunto com GAECO/MPRJ), deflagraram, nesta quinta-feira 13 de fevereiro de 2020, para o cumprimento de cinco mandados de prisão expedidos pelo juízo da 1ª Vara Criminal de Armação dos Búzios contra despachantes, acusados de falsificarem alvarás no município.

De acordo com a investigação, empresários que buscavam a legalização de seus estabelecimentos junto à Prefeitura de Búzios eram indicados por funcionários da própria administração municipal a procurar despachantes que, supostamente, agilizariam o processo para liberação do alvará. Em seguida, as vítimas entravam em contato com os referidos despachantes e ora denunciados, que cobravam valores em torno de R$ 5 mil pela emissão de alvarás definitivos, os quais, posteriormente, foram confirmados como sendo documentos falsos. Ainda de acordo com informações do MPRJ, no decorrer da investigação, os denunciados ainda ameaçaram vítimas e destruíram provas, retirando alvarás de estabelecimentos lesados sem qualquer autorização.

Nesta manhã foram cumpridos três mandados de prisão até o momento.

Os alvos da operação – Crimes de Organização Criminosa, Estelionato, Fraude Processual e Ameaça

Maurício Rodrigues de Carvalho do Nascimento – PRESO

Thiago Silva Soares – PRESO

Weliton Quintanilha de Souza, o Ginho – PRESO.

Henrique Ferreira Pereira, o Japonês – FORAGIDO

Jonatas Brasil Rodrigues da Silva, o John John – FORAGIDO

 

NOTA:  Segundo fontes de informação as próximas fases serão ainda mais direcionadas ao controle e/ou comando dessa ação criminosa e extensa em Armação dos Búzios.

Fonte: GAECO, MPRJ e O Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *