Não são intocáveis!

Poderia começar por várias maneiras esse texto jornalístico, mas vou adentrar pelas palavras do advogado Maycon Siqueira do gabinete do vereador Miguel Pereira (Cidadania) ao jornalista Elízio Figueiredo; “…me admira você, sendo um homem tão inteligente falar do vereador Miguel Pereira…” e seguiu seu comentário em uma rede social… Ora, o vereador não pode ser confrontado? Não é a DEMOCRACIA a LIBERDADE de contradizer o que acontece ou não é realizado?

O tom pode ser lido como uma ameaça, mas digamos que foi apenas para intimidar o jornalista de criticar um político

Tudo acorreu quando o pastor Ângelo Ventura assistindo a Sessão da Câmara Municipal de Armação dos Búzios, resolveu gravar um vídeo no qual ele pede que não coloquem em votação os valores que estava em pauta. Esse vídeo e seu conteúdo renderam mais de 1,4 visualizações no Facebook o qual foi compartilhado pelo jornalista Elízio Figueiredo no seu perfil também na mesma rede social.

Não querem qualquer tipo de critica ou manifestação que os coloque na berlinda

Claro que esse pool de visualizações, incomodou a Casa Municipal, mas tudo ocorreria no tramite normal, se não fosse o perfil no Facebook do vereador Miguel Pereira (Cidadania) se colocar ameaçando o pastor de processo e dizendo (escrevendo) que o mesmo exercia inverdades… Esse posicionamento fez com que o jornalista Elízio Figueiredo também entrasse na discussão social da rede em favor do posicionamento do pastor, uma vez que o jornalista entendeu como uma Liberdade Constitucional de Expressão.

Parece que a esquerda e seus jovens militantes não admitem que o vereador, figura pública, possa ser criticado; e logo ameaçam com “processos” as pessoas que assim se colocam contra os vereadores. Parece um “dom” dos jovens militantes que tem como ídolo o advogado Felipe Santa Cruz, em suprimir a liberdade de expressão dos que confrontam seus políticos de esquerda. É também notório e salvo, que ao ameaçarem as pessoas de pratica de fake news, se utilizam do crime de calúnia, como se à eles isso fosse facultado como lícito.

O que faz a Casa Legislativa de Búzios

Para ser de fácil e rápido entendimento a Casa mantém no cargo de prefeito da cidade um Condenado por Improbidade Administrativa (condenado em 2019) e sem seus Direitos Políticos (cassados em 2018), virando as costas para as leis, a saber: A lei Orgânica no artigo 89 que manda CASSAR nos dois momentos, e a Lei 8429 que trata do Crime de Responsabilidade – Improbidade Administrativa.

E por manter esse Condenado no cargo de prefeito, a mesma permite a livre atuação do mesmo em contratos e gastos sem impor nenhum tipo de obstáculos, apenas volta e meia, uma “encenação” com o simples propósito de enganar os eleitores da cidade.

Não são palhaços e nem estão de palhaçadas, apenas estão exercendo sua liberdade de expressão. Aliás, o pré-candidato à vereador Elízio Figueiredo tem apresentado propostas em vídeos no seu Canal no Youtube

 

Palhaçada

É costume Nacional chamar os homens que não praticam a corrupção, que não são de ideologia e nem de partidos de esquerda de “palhaços”, como foi com o presidente da República Jair Messias Bolsonaro que constantemente é chamado pela militância de “Bozo”. E foi assim, que a assessora do vereador Miguel Pereira, Bruna Braga se referiu ao Pastor Ângelo Ventura e ao Jornalista Elízio Figueiredo de forma a que eles parassem de “palhaçadas” e apresentassem propostas. O jornalista Elízio Figueiredo que é pré-candidato a vereador já apresentou sete propostas em redes sociais e as mesmas encontram-se em seu Canal no Youtube, propostas essas as quais o mesmo se propõe a documentá-las em cada setor da cidade, para que não fiquem na atmosfera de promessas, que os políticos de esquerda na cidade, da Velha Política, nunca cumprem; “As minhas propostas estão já postadas em vídeos, tanto no meu Canal no Youtube, quanto em vídeos na Rede Social Facebook, aliás, gostaria de informar a Bruna, que todas poderiam ter sido realizadas pelo vereador que a chefia, mas que o mesmo não as levou a se tornarem Leis atendendo aos anseios dos moradores”  colocou o jornalista em resposta a assessora do vereador.

Vereador Miguel Pereira

Foi secretário Municipal do prefeito que está condenado por Improbidade Administrativa no seu primeiro mandato (2013-2016), e depois foi apoiado pelo mesmo a eleição para uma das Cadeiras Municipais. Deveria ter sido representante do POVO, mas foi o vereador da bancada do prefeito, dando-lhe apoio e aprovação nas questões colocadas em votação. As vezes votava contra, mas nunca inviabilizando as ações do Condenado e chefe do Executivo.

Miguel Pereira deveria ter como representante do povo, legislador, e vereador da Cidade, protocolado o Pedido de Cassação do prefeito que a Justiça condenou e cassou seus Direitos Políticos, mas ao contrário, se omitiu e em silêncio ficou. Agora se coloca como pré-candidato à vice-prefeito com um discurso de “oposição” ao prefeito condenado, mas essa característica oposicionista é vista pela população como mais uma encenação desse grupo, que de oposição ao prefeito condenado não tem NADA, pois são conhecidos e apontados na Cidade como o G-9.

Qual seria o interesse ou interesses do prefeito condenado em ter como vice-prefeito de Alexandre Martins seu fiel vereador e ex-secretário Municipal Miguel Pereira? Eis uma questão que não sabemos responder, como o que moveu esses NOVE VEREADORES a manter no cargo de prefeito um CONDENADO POR IMPROBIDADE. Será que pensam que o POVO, o ELEITOR são otários?

Em que momento eles se tornaram oposição? Se Miguel Pereira tivesse protocolado a Cassação do prefeito, aí sim, poderiam ter rompido o futuro político…

Sem temor

Não vamos nos deter a não criticar políticos e qualquer tipo de profissional, de qualquer PODER por medo de processos e outras praticas nada republicana, que esses militantes de esquerda, formados em Direito nos afrontam hoje em dia com suas ameaças. A Constituição é Soberana, e tolos são os que se colocam contra o jornalismo  correto, honesto e com passado reto.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *