Arthur do Val ou “Mamãe Falei”

O deputado Estadual por São Paulo, fruto intragavel do intragavel MBL, deverá ser cassado pela ALESP, devido a vários atos de degradação contra um Cargo de Valor Legislativo. Esse cara, que usa a ucunha de “mamãe falei”, o atual deputado paulista Arthur do Val do MBL, já poderia ter sido penalisado pela Comissão de Ética da Casa Legislativa Paulista, quando o mesmo se dirigiu nas Redes Sociais debochando de forma vil e fria do estado de saúde do Presidente da República em consequencia a facada que sofreu quando ainda candidato a presidência do Brasil.

CRIME GRAVE – Um de seus atos criminosos foi o de se declarar produzindo e ensinando a produzir coquetéis molotov’s numa guerra (Rússia X Ucânia) em que o Brasil não é parte; e isso é muito grave! Um cara que não conseguiu entender a postura de um cargo de autoridade brasileira que é o que ocupa até agora, de deputado estadual.

FEDOR DA ESQUERDA – Um deputado de esquerda da base governista do Estado de São Paulo iria pedir vistas do pedido de cassação para salvar Arthur do Val; explicando: É que quando um processo recebe “Pedido de Vista”, quem o pediu não tem tempo para entregar o processo para que o mesmo volte ao rumo de votação, no caso de cassação. Mas o Conselho de Ética votou e colocou o Processo em Requerimento de Urgência impossibilitando o pedido de vistas. Show!

1º ATO DA CASSAÇÃO – Por unanimidade – 10 X 0 – o Conselho de Ética da ALESP aprovou o relatório que prevê a cassação do Arthur do Val, vulgo “Mamãe Falei”. Agora seguirá para votação no plenário, o que deverá ocorrer até o fim do mês de Abril de 2022. O relatório prevê a perda do mandato em decorrência da produção de coquetéis molotov’s (na Ucrânia que está em guerra) por uma autoridade civil brasileira. Ele, Arthur do Val violou dispositivos internacionais ao produzir coquetéis molotov’s para um Pais em guerra. 

Quando esteve na Ucânia, no período do início da guerra, Arthur do Val mandou áudios pesados para um grupo de amigos, nos quais relatava a facilidade das mulheres ucrânianas, que devido a pobreza instauradas pela guerra, se mostravam “faceis”, e uma de suas falas ficou marcada – “são fáceis porque são pobres”.

ARTHUR DO VAL FAZ AMEAÇAS –  “Eu vou ser cassado. Tem grandes possibilidades. Então vou para cima e vou falar a minha versão. Mas se for para cair,vou cair atirando. Se cortarem a minha cabeça,vai nascer três no lugar. Cassação não é sobre o que eu falei, mas sobre quem eu sou”… O que ele falou, foi o que todos ouviram, não tem outra versão, só se for em outro idioma, mas ainda assim, contará com o mesmo teor. Quando diz; “cair atirando”, nos remete aos bandidos que ao verem o fim, morrem atirando em políciais.  Quanto a nascer “tês cabeças”, aí entendemos que deve ser alguma imagem demoníaca de algum filme de ficção, mas que caberia com as malignas armações que planejava contra mulheres pobres. E se engana ao pensar que a cassação é sobre o que ele falou ou sobre ele; a cassação é sobre a falta de ética que ele apresentou.

Seus audios a amigos, eram o planejamento de um turismo de exploração sexual numa Ucrânia pós guerra, e afirmava sobre as mulheres ucrânianas: “são fáceis porque são pobres”.

ESSA É A PUNIÇÃO E PRONTO ? – Na avaliação do relator, Arthur do Val quebrou o Decoro Parlamentar ao dizer que as refugiadas ucranianas eram “fáceis porque eram pobres”. Fala essa vazada em seus audios a amigos, o qual é rico em colocações, relativas as ucrânianas, e que no futuro pós guerra, lá ele voltaria para encontrar as ucrânianas, uma vez que nessa ocasião ele “não pegou ninguém”, uma de suas frases. Moral da história o deputado planejava claramente em suas colocações, um turismo sexual na Ucânia pós guerra.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *