Glaidson Acácio dos Santos está preso desde agosto de 2021

A juíza Juliana Bessa Ferraz Krykhtine, da 4ª Vara Criminal, de Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro emitiu um novo mandado de prisão para Glaidson Acácio dos Santos, o ex-garçom.
Glaidson está preso desde agosto de 2021 por crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Há ainda outros dois mandados de prisão contra ele, sendo um como mandante de um assassinato e outro pela tentativa do crime.
Na quinta 26 de maio de 2022, o ex-garçom foi indiciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro. Nesta nova acusação, Glaidson é acusado de estelionato. De acordo com o inquérito da 76ª DP – Centro de Niterói – é denúncia do Ministério Público Estadual, entre junho e agosto de 2021, uma mulher foi vítima de golpe do grupo de Glaidson.
De acordo com depoimento, a mulher disse ter sido vítima de um golpe em que registrou um prejuízo no valor de R$ 30 mil Reais. Segundo contou, ela foi apresentada à empresa GAS, investidora em criptomoedas com dinâmica de investimento em 36 meses e que teria 10% mensal do valor de investimento.
A mulher contou na delegacia que recebeu um pagamento no valor de R$ 3 mil e em agosto Glaidson foi preso na operação da Polícia Federal. Desde então, segundo ela, não recebeu comunicação da empresa e nem sabe se irá receber o dinheiro investido, uma vez que nada tem como provas de seu investimento, como extrato de movimentação financeira ou algo que lhe garanta um exercício legal.
Para a juíza Juliana Krykhtine, essas informações são suficientes para defirir pela nova prisão de Glaidson. Tais aspectos indiciam a periculosidade do acusado que, solto, acarreta evidente ameaça à ordem pública. A magistrada considera que há uma quadrilha especializada em “pirâmide financeira”, operando no mercado de criptomoedas e especulação. Eles promete aos clientes o pagamento de rendimentos mensais de 10% sobre o capital investido num período de três anos.
Em sua decisão, a magistrada considera que “os antecedentes dos denunciados lhe são extremamente  desfavoráveis, pois há notícia nos autos revelando a prática diversos outros delitos, em relação a milhares de vítimas, circunstância que evidência personalidade voltada para prática criminosa contumaz e sabidamente ofende a ordem pública”, escreveu a magistrada.

O ex-garçom que conseguiu que muitos o considerassem um milionário; completará em agosto agora um ano de prisão.

FONTE: globo.com/G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *